QUESTÃO DE TEMPO PARA FAZER UMA LISTA

Dedico esse vídeo a dois grupos de pessoas:
1- À quem tem amigos;
2- Aos que sofrem.
Pode parecer óbvio que todos fazem parte de um ou outro grupo, mas isso é um engano fundamental. O que mais tem são pessoas “felizes” e sem amigos.
Portanto, as pessoas à quem dedico essa mensagem, sabem que: ter amigos é raro, sofrer é condição para existir. Como disse Clarice Lispector em A hora da estrela: “Que há de se fazer com a verdade que todo mundo é um pouco triste um pouco só”.

Percrustantemente,
Lucianno Di Mendonça ©
http://www.plurais.net

Anúncios

NÃO É DEUS QUE ABENÇOA AS PESSOAS QUE SACRIFICAM NA IGREJA UNIVERSAL?

Captura de Tela 2015-03-22 às 12.24.25

O pastor Arnaldo, comediante, publicou um texto meu que fala dos 10 mandamentos do dízimo da Igreja Universal, e isso gerou alguns comentários no blog. Um deles, o rapaz quis saber como entendo o “fato” dos testemunhos de prosperidade da IURD, como se tudo que mostram fosse verdade, querendo saber qual a relação da benção de Deus com o sacrifício de tais pessoas. O leitor pergunta num trecho de seu comentário: “Como funciona isso? Não seria Deus ajudando essas pessoas?” Publico esse texto, pois, essa é a estratégia de marketing que a IURD mais usa. Abaixo minha resposta:

“Obrigado pela oportunidade de esclarecer sobre seu comentário, muito pertinente sua pergunta. Essa é a objeção mais recorrente quando tratamos da “teologia da prosperidade”. A discussão vai longe quando falamos com membros da seita, pois, normalmente, eles deixam o foco do diálogo e partem para subjetividade, repetição de clichês e acusações que você é endemoniado, caído, etc. Irei dividir minha resposta em alguns pontos, penso que é suficiente para mostrar quão grave é o uso dessa estratégia de marketing religiosa. Ouça também a pregação do Ed René Kivitz, que deixo o link no final, é muito esclarecedora sobre a questão.

Vamos aos pontos: sol-e-chuva

1 – GRAÇA COMUM. A Bíblia diz que tudo que é bom vem de Deus, que o sol nasce sobre justos e injustos, diz também que os filhos das trevas são mais hábeis que os filhos da luz. Não estou dizendo que os iurdianos são filhos das trevas, há muitas pessoas lá que temem a Deus, são honestas, etc, só estou dizendo que Deus abençoa até quem é filho das trevas, afinal, Deus é bom para com todos, membros da IURD ou não.

2 – TRABALHO. Um ponto positivo da IURD é que eles estimulam as pessoas a trabalhar e serem empreendedoras, claro que, não fica de graça, o fazem para gerar grande fonte de renda para seus cofres para construção de seu império de poder. Tínhamos um casal de amigos, inteligentes, trabalhadores e talentosos em seu negócio, estavam prosperando muito. O rapaz pegou um dinheiro no banco para pagar funcionários, foi seguido por bandidos, próximo de sua casa, ao receber voz de assalto, sem saber o que fazer e no momento de desespero, houve uma rápida troca de palavras, quando o bandido tirou a arma para atirar, meu amigo estendeu a mão pedindo para não atirar, a bala atravessou sua mão, atingindo e matando-o. Não morreu na hora, deu tempo de sua mãe chegar para morrer em seus braços ensanguentados. Ele tinha um “cartão de dizimista fiel” no bolso da camisa. O pastor havia orientado que era para andar com o cartão no bolso, pois, seria sua proteção contra assalto, bala perdida, etc. quem quer dinheiro

3 – PROBABILIDADE. Apesar de estar diminuindo, a IURD tem milhões de adeptos, é natural que alguns fiquem ricos e outros permaneçam pobres, mas TODOS “na fé” dando tudo que têm. Seria como Silvio Santos fazer marketing do “baú da felicidade” se aproveitando dos que ganharam e desconsiderando a grande massa que perde. A diferença é que Silvio Santos não usa o nome de Deus, não faz a pessoa dar tudo, não diz para deixar de pagar outras contas para fazer uma “fézinha” nas apostas de sua loteria, não diz que TODOS que “apostarem” com “fé” ficarão ricos, e mais importante, o dono do SBT é um homem íntegro. Se você ouviu crédulos da IURD dizendo que ficaram ricos, também conhece outros tantos que nunca colocaram os pés numa igreja e da mesma forma e até mais, se tornaram multimilionários. No Brasil, milhares de pessoas ficam milionárias todos os anos, tem religiosos de várias denominações, ateus, agnósticos, mendigos, médicos, engenheiros, analfabetos, cortadores de cana, vendedores ambulantes, engraxates, etc. Claro que, em 200 milhões de habitantes são poucos, mas se o governo começasse a pegar esses exemplos para dizer o quanto o governo é bom, seria muito fácil de enganar ainda mais. Mind-Control

4 – DISCURSO. Quando a seita universal era pequena seu discurso era “somos bons porque somos poucos”, hoje é “somos muitos porque somos bons”. Ou seja, o marketing muda conforme muda a conveniência. Os pastores e bispos aproveitam da generosidade, pobreza e analfabetismo do povo brasileiro para estabelecer um discurso religioso proselitista, fundamentalista, massacrante e alienante.

5 – INCOERÊNCIA. Conheço pessoas que são pressionadas pelos pastores para darem “testemunho” de como ficaram ricas, mas a pessoa diz: “pastor, eu prosperei, mas meu casamento está uma bagunça, meus filhos nas drogas, etc”, o pastor responde: “minha filha, continue na “fé”, vamos falar somente de “prosperidade”, mas diante das câmeras o pastor força falar de outros assuntos, e, o membro fica com medo de contradizer o “homem de Deus” e acaba maquiando a realidade, mentindo noutras áreas. palha-assada

6 – GANÂNCIA. Muitos testemunhos espetaculares são mentirosos ou exagerados, tenho uma amiga que, no início dos anos 2.000 tinha uma empresa de seguros, trabalhava como escrava para dar dinheiro para a seita, movimentou muito dinheiro e estava constantemente na mídia e nos palcos da IURD, resultado após alguns anos: ficou presa por várias semanas, pois, o marketing e o movimento financeiro de sua empresa foi tão grande que perdeu o controle, confiou profissionais em pontos estratégicos da empresa, foi roubada e enganada, ficou pobre, devendo, e ainda na cadeia por sonegar impostos e falsificar documentos, que achava que estavam sendo pagos e emitindo documentos legalmente. Não estou dizendo que foi culpa da seita, quero dizer que, a maioria dos “testemunhos” são mentirosos e efêmeros, a pessoa não permanece naquele glamour o tempo todo, e quando o castelo de cartas marcadas desmorona, os mercenários e lobos já extorquiram o que podiam, e agora, ninguém fala do resultado final, vão para os próximos “testemunhos” e o resto que se exploda. Conheço outro casal que deu a única FAZENDA que recebeu de herança, foi um escândalo na família e cidade, apostaram que iriam receber muitas vezes mais, mas perderam quase tudo, sobrou alguma coisa, mas nunca mais viram uma poeira do que deram para a seita. Os exemplos são inúmeros, mas os pastores não falam que a maioria vai permanecer pobre ou vai ficar pior, usam os raros exemplos e os potencializam para enganar os desavisados, inocentes e gananciosos. charge_tiririca

7 – ANALFABETISMO FUNCIONAL. O Brasil é um país de analfabetos funcionais. O evangelho de Cristo NÃO TEM ABSOLUTAMENTE nada haver com ficar rico. O povo está tão sem noção e ganancioso que não consegue distinguir a mensagem do evangelho de um discurso de auto-ajuda gospel para ficar rico. Os cursos do SEBRAE e palestras do Daniel Godri fazem isso muito melhor e com honestidade. Ainda que tudo o que se mostra na Universal fosse verdade (que não é), o que isso tem haver com o evangelho de Cristo? As pessoas perderam a vergonha em dizer que estão “buscando” a Deus para ficarem ricas, e ainda alimentam esse discurso, muitos acreditam nisso, e pior, estão girando a ciranda maldita da “teologia” da “prosperidade”. Poderia dar vários exemplos de famílias destruídas, que ao longo do tempo, deram dezenas de “testemunhos” nos palcos da seita e até na TV, e hoje estão destruídas, sem forças para recomeçar, sem apoio da “igreja” e, tidas como rebeldes e endemoniadas pela seita. Para averiguar o que estou dizendo leia o Novo Testamento, não precisa acreditar no que estou dizendo, verás que o que se faz nos palcos e bastidores da IURD é nojento. Ainda bem que você não frequenta a seita, mas vá lá, mais do que ouvir um “pastor” performático e treinado desde criança para fazer as pessoas darem “voluntariamente” todos os bens e dinheiro que possuem, converse com algumas pessoas quando elas descerem do picadeiro, veja o quanto não conhecem nada da Bíblia, o quanto são analfabetas funcionais e como somente papagaiam o que ouvem dos “pastores” e “bispos”. Para cada “testemunho” destes que você citou, pode ter certeza que milhares de famílias estão arrasadas por um dia terem acreditado nisso e até terem sido um desses “testemunhos de prosperidade”. Essas histórias que lhe contei, vistes alguma nos palcos da IURD ou no youtube como as que você citou?

8 – Ouça o audio desse link que explica detalhadamente como funciona esse esquema das igrejas neopentecostais, evidentemente, não são somente as “neos” que fazem isso, mas essa corrente religiosa usa e abusa de tudo que é falado nesse audio: https://www.youtube.com/watch?v=GfpaCkrP5wY

Como eu disse anteriormente, não dedico tempo para falar nesse assunto, mas não posso ser covarde em, conhecendo muito bem esse esquema, permanecer calado, enquanto muitas pessoas ao meu lado estão caindo nesse engodo, se apenas uma delas abrir os olhos, valeu a pena. Se alguém tivesse feito isso comigo a 12 anos, talvez eu seria essa única pessoa que teria aberto os olhos, digo isto, pois, procurei informação entre alguns amigos e em literatura cristã na época, mas não tinha larga informação como hoje, e também na IURD não era tão bagunçado como vemos hoje em dia, está cada dia pior.

Grande abraço e que Deus abençoe você e sua família.”

© Lucianno Di Mendonça
www.plurais.net

SÁBADO OU DOMINGO?

IGREJAPara muitos, o que propomos a reflexão agora faz pouco e nenhum sentido, mas para milhões e milhões de cristãos é uma questão importante em sua religiosidade: há um dia específico da semana para adorar a Deus? Seria Sábado ou Domingo?

Outro dia acompanhei parcialmente um debate num site e foi um dos artigos mais comentados chegando a mais de 300 comentários até o dia que entrei pela última vez, mas o foco era se o dia correto é o primeiro ou o sétimo dia da semana. A pouco mais de um ano, ganhei de uma pessoa um DVD com 30 pregações de um pastor de 30 minutos cada, e o tempo todo fazia uma ginástica teológica mirabolante para convencer os ouvintes que devemos guardar o sábado e, não fazê-lo constitui-se pecado grave, às vezes, os argumentos eram tão grosseiros, a religiosidade tão agressiva que chegava a ser engraçado, inclusive, dizendo que das tábuas da lei mosaica, o quarto mandamento é o mais importante, imagine aonde ele tem que ir e os artifícios que usa para chegar a essa interpretação.

Uma das coisas que mais me assusta no cristianismo institucionalizado é seu poder de produzir discussões intermináveis sobre assuntos não fundamentais da Bíblia, por isso publico esse artigo, após me deparar com essa pergunta de uma amiga.

Mesmo em detrimento do pastor sabatista e sua teologia tendenciosa, se fosse para eu escolher um dia, seria sábado, apenas “se” fosse, pois, se os defensores do sábado ou domingo como dia do Senhor usam a mesma Bíblia para defenderem suas teses, ficaria com o sábado; os “domingueiros” usam a ressurreição de Jesus, algumas passagens de Atos, uma de Apocalipse, e a tradição cristã nos primeiros séculos. Os sabatistas usam o AT e o quarto mandamento, na minha opinião teria mais base como doutrina, pois, não há no NT uma ordem específica para mudar o dia para domingo, apesar da tradição cristã que vemos a partir do livro de Atos.

Particularmente não sou nem sabatista, pois, no Antigo Testamento, reunir o povo de Deus no sábado não era suficiente para dizer que se guardava o dia de descanso, havia inúmeras outras ordens, e nem sou domingueiro, pois, no Novo Testamento não há uma clara indicação que o dia do Senhor mudou e que constitui-se pecado não reunir no dia da ressurreição ou primeiro dia da semana.

Abaixo a transcrição de um texto no blog dos bereianos:

“Lutero insistiu que os trabalhadores devem ter um dia de repouso, quando podem então reunir-se para ouvir a Palavra, orar e louvar a Deus. Mas qual dia seja, não importa, pois todos os dias são iguais (Rm 14.5). Calvino, do mesmo modo, insiste que Cristo é o cumprimento do sábado, o que resultou na abolição desse dia: “Distante deve estar, portanto, dos cristãos a supersticiosa observância de dias” (Institutas II, VIII, 31).”

Veja o que uma amiga, Rilda Santos, disse:

“Talvez a pergunta mais correta seria: Nos reunimos no dia de descanso do Senhor ou no dia da Sua ressurreição? Bem, essa seria uma pergunta. Outra poderia ser: Deus quer que fiquemos presos a um dia específico ou o sábado serviu apenas de modelo? Assim sendo, todos os dias não deveriam ser santificados a Ele?”

Enfim, não pretendo que alguém se convença da minha opinião numa questão tão antiga, escrevendo apenas algumas linhas, e mesmo que houvesse uma bibliografia que corroborasse o que estou dizendo, não teria a pretensão de encerrar o assunto. Mas, se haverá alguma pergunta que o Senhor fará no último dia (não creio que haverão perguntas), não seria para os domingueiros “porque vocês se reuniram no dia errado?” ou o contrário para os sabatistas. Mas outras perguntas seriam feitas, como “porque vocês causaram divisão quanto ao dia de adoração a mim que Sou ATEMPORAL?” ou “porque vocês se reuniram tanto em tantos dias da semana a vida inteira, mas não pregaram o evangelho?”.

© Lucianno Di Mendonça
www.plurais.net

ABOUT ME ABOUT NEVERLAND

10679peter-2

……Quando eu era mais criança, havia um cesto trabalhado de um fino cipó retorcido entre a parede e a lateral do guarda-roupas no quarto de hóspedes onde escondia tesouros inestimáveis. O acesso a esse quarto era por duas portas, uma dava para o corredor, a principal, e a outra, era no meio de uma parede do quarto onde eu e meu irmão dormíamos, era nossa passagem secreta.
….…Havia de quase tudo um quase nada de coleções: centenas de canhotos de cheques do meu pai, gibis, moedas antigas que meu pai recebera de herança do meu avô numa lata sem tampa de Farinha Láctea, selos recortados de cartas, retratos, calendários de bolso de propagandas de empresas, botões novos ou de camisas usadas, embalagens de doces e chocolates, etc.
….…Se estava alegre ia para lá, se ficava emburrado, grilado (e todos os bichos nervosos com final ado) ia para trás do guarda-roupas também. Era a minha Neverland, ficava horas e horas no meu cantinho do pensamento, minha ilha perdida, meu mundo da lua, meu universo numa casca de nós.
….…Mas o tempo passou, a casa foi reformada, a passagem secreta demolida, o quarto de hospedes virou sala; mudei de casa; os canhotos de cheques queimados, as moedas se perderam, os gibis carcomidos de ratos, os selos recortados de cartas foram para o lixo, os calendários se perderam no tempo, os retratos rasgados ou sumidos, um ou outro estão nalgumas gavetas ou dentro de caixas embaixo de camas por ai. My old Neverland ended.

…….Who don’t have Neverland? Only Peter Pan and Michael Jackson have?

…….Hoje meu cantinho é escrever. Meu lado oculto das luas de Saturno. Apesar que, algumas pessoas disseram-me, e leio sobre também, que tenho que definir para quem escrevo, que grupo de leitores quero me comunicar. Concordo, tanto que estou procurando essas pessoas, não sei se elas existem, como Descartes, nem sei se existo, pois, outro dia minha mãe disse que não existo, ora, se a pessoa de quem vim de dentro disse que não existo, o que sobra para mim dizer de mim mesmo? Mas pense comigo, se minha mãe disse para mim que não existo, logo, existo. Duvido de poucas coisas, acredito em menos coisas ainda. Mas uma coisa sei além de nadaescrevo, logo, resisto.             
…….No meu universo do não sempre, guardo alguns textos infantis; caduquices meninas; versos reversos; contos que conto nos cantos; cartas jogadas ao mar em garrafas a nau; onde coleciono lágrimas; canhotos de cheques de tristezas sem fundo; historias que não estão no gibi; embalagens de chocolates passados e doces fracassos. Além do que, sou meu primeiro leitor de histórias que ainda não existem. Essa é a forma que encontrei de ir escrevendo-me pelo caminho, ainda que, os calendários tenham aumentado de tamanho e meus dias estejam cada vez menores e mais perto de seu ocaso.
…….Ninguém sabe, somente eu, somente você: aos manuscritos vou várias vezes ao dia, noite, madrugada. Sabe essas bobeiras que temos sem eira nem beira? Leio tudo que escrevo várias vezes, centenas, gosto de olhar e fechar os olhos, contar até dez com o rosto escorado no braço e numa árvore cujas folhas são letras, brincar de esconde-esconde com as palavras, procurar e finalmente… me perder.
…….Enfim, signos gráficos é minha terra do nunca, é onde o Verbo se faz substantivo comum, vírgula, pronome, pingo no i, antônimo, entrelinha, interjeição, artigo, número singular, impar, plural, ponto final, interrogação e exclamação. Personagens recebem vida, pessoas reais tem histórias contadas, os capitães-ganchos são outros, leitores se reconhecem em novos mundos velhos. Aqui é o lugar que substantivo comum encontra sentido e compõe uma oração com o verbo de ligação.
…….Então , vamos combinar assim: se você não contar meu segredo pra ninguém, reservarei-lhe o cantinho mais especial, brincaremos juntos com as palavras, voaremos além dos limites da lata destampada da Via Láctea subscrevendo em cadernos caligráficos em multiversos inexplorados e inimagináveis dos Joãos e Marias, Josés e Anas, revirando letras à paisanas sob os astros, pedras, recantos e buracos do mundo que não fazem sentido para ninguém, senão somente para nós. Posso contar com você como meu parceiro de dedinho em nossa Terra do nunca?

My Neverland back
This is about me
This is about us
Foreverland
Lifeland.

© Lucianno Di Mendonça
www.plurais.net