QUEM ACONSELHA O PASTOR?

Conversation-between-big-data-and-research

…….Esse é mais um grave problema quando hierarquizamos, institucionalizamos, engessamos e encaixotamos a Igreja. O ser humano por si mesmo tem a natural inclinação de querer apoderar-se e controlar tudo que o cerca, e farão isso, aqueles que por um ou mais dons espirituais e talentos naturais mais se destacarem. No ministério pastoral não seria diferente. Muitas vezes somos tolos, mas nunca burros, é uma questão de lógica, se o pastor é o maioral, o “pai de todos”, o intocável, o sábio, quem poderá ajudá-lo, aconselhá-lo? Ninguém. Resultado? Pastores e comunidades doentes.
…….Isso é muito comum porque se prega algo que está longe de viver, um pastor que fala de: aconselhamento, do valor da amizade, de como é importante tomar opiniões, de como a natureza humana é corrupta, mas não ensina as pessoas com sua própria vida que todos precisam ajudar e ser ajudados, onde o próprio pastor não busca ajuda, em tal situação, torna-se uma questão de tempo para passar por um esgotamento psicológico/espiritual, talvez irreversível.
…….No livro Ajudando uns aos outros pelo aconselhamento, o autor Gary R. Collins, faz uma distinção entre o dom de aconselhar e o chamado a todo crente como aconselhador, ou seja, nem todos tem o dom, mas todos nalguma medida tem o dever de aconselhar. Esse mesmo princípio vale para o inverso: se todos devem aconselhar, logo, todos devem ser aconselhados, inclusive, pastores e conselheiros. Em outras palavras, quem cuida do pastor, líder, conselheiro e mestre? Todos cuidam de todos.
…….Collins, no capítulo 10, Como ajudar a você mesmo, sugere alguns procedimentos que o pastor ou conselheiro pode tomar nessa difícil tarefa de sujeitar-se ao aconselhamento:

  1. Seja um discípulo de Cristo;
  2. Ande no Espírito;
  3. Cresça na maturidade;
  4. Descubra e desenvolva dons espirituais;
  5. Seja um transferidor de cargas;
  6. Dê uma olhada em você mesmo;
  7. Aprenda a aceitar a você mesmo;
  8. Faça alguma coisa positiva;
  9. Ache um conselheiro;
  10. Lembre se de nosso alvo que é testemunhar a Cristo.

© Lucianno Di Mendonça
www.plurais.net

[Texto que compõe as provas para o aproveitamento de créditos para o curso de bacharel em Teologia na Faculdade Teológica Sul Americana em Londrina]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s