DEUS É O CRIADOR DO MAL?

article-2291846-189235BE000005DC-882_634x431Participo de um grupo de estudos teológicos no facebook, e saiu essa pergunta. O mal não é uma questão somente das religiões monoteístas, mas a filosofia, ateísmo, teodicéia, panteísmo, etc, discutem-na, pois, independente de qual posicionamento a pessoa irá tomar, todos sabemos que o mal existe, e existe mais que gostaríamos de admitir.

Publico isto, não para falar sobre algo que se discute a milênios sem chegar a uma conclusão, mas pensando em pessoas que estão sofrendo muito, por exemplo, um amigo perdeu seu filho de 4 anos em decorrência de complicações numa cirurgia no coração, ou, algumas famílias de minha cidade que perderam filhos em tragédias e/ou em decorrências de problemas de saúde e congênitos.

A algumas semanas fui convidado a fazer uma oração pública no velório de um rapaz de 33 anos, fomos vizinhos muitos anos, faleceu num acidente automobilístico onde o condutor do outro veículo provocou o acidente e estava embriagado. Nesses momentos, as discussões teológicas científicas e filosóficas ficam em segundo plano, o que importa é o que você vai dizer diante de uma família que está desesperada diante de um caixão, sem saber o que fazer da vida que devem continuar vivendo.

Dizem que nesses momentos não se deve dizer nada, concordo, nada temos para falar que resolva, por outro lado, discordo, pois, nessas horas, tudo que queremos é alguém que nos diga algo que traga esperança ao mesmo tempo que seja verdadeiro. Costumo dizer que as maiores experiências que tive com Deus foram no meu cérebro e no relacionamento com pessoas, esse dia foi desses. Marcou profundamente minha vida, quando: o pai do rapaz se aproximou, olhou e me deu um longo e triste abraço. O mal existe, é verdade, mas temos que lidar com ele. Como?

Nos links abaixo sugiro 3 podcasts (programas de audio), onde os participantes discutem essa questão, tendo como fundamento o cristianismo histórico, não espere conclusão sobre o tema nem respostas prontas, mas algo que traga esperança é possível:

O problema do mal (irmaos.com) à partir do minuto 5:50
A questão do sofrimento (irmaos.com) à partir do minuto 11:45
O problema do mal (reforma21) à partir do minuto 12:45

© Lucianno Di Mendonça
www.plurais.net

Anúncios

PRINCÍPIOS DE INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA (PARTE 4)

bibliotecaNeste audio veremos sobre o processo de tradução da Bíblia. O que temos em mãos hoje é tradução de tradução de tradução? As Escrituras na Língua Portuguesa contemporânea passou por várias línguas até chegar a nós? E:
Princípio 8: A história da igreja é importante, mas não decisiva na interpretação da Escritura.
Princípio 9: As promessas de Deus na Bíblia toda estão disponíveis ao Espírito Santo a favor dos crentes de todas as gerações.
Princípio 10: A Escritura tem somente um sentido e, a princípio deve ser tomada literalmente, o que é poético ou simbólico a própria Bíblia nos conduzirá a tal interpretação.

Clique aqui e ouça o audio sobre os temas acima
Clique aqui e ouça outros audios relacionados

PRINCÍPIOS DE INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA (PARTE 3)

nt_manuscriptNeste áudio do grupo de estudo bíblico, iremos ver como foi o processo de cópias das Escrituras antes da invenção da imprensa, e também:
Princípio 5: Os exemplos bíblicos só tem autoridade quando amparados por uma ordem.
Princípio 6: O propósito da Bíblia é mudar nossas vidas e não aumentar o conhecimento.
Princípio 7: Cada cristão tem o direito e a responsabilidade de investigar e interpretar a Palavra de Deus

Clique aqui e ouça o audio sobre os temas acima
Clique aqui e ouça outros audios relacionados

PRINCÍPIOS DE INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA (PARTE 2)

280410_Papel-de-Parede-Livros-Antigos_1280x800Segunda reunião do grupo de estudos Laços Teológicos, iremos discutir mais três princípios de interpretação bíblicas:
Princípio 2 – A Bíblia não somente foi inspirada por Deus, mas Ele também inspira entendê-la.
Princípio 3 – A Escritura por si mesma explica a Escritura.
Princípio 4 – Devemos interpretar nossas experiências a luz da Bíblia e não o contrário.

Clique aqui e ouça o áudio relacionado aos temas acima
Clique aqui e ouça outros áudios relacionados

PRINCÍPIOS DE INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA (PARTE 1)

restauracoes
Nesse áudio começamos uma série de estudos. Sem cortes, sem edição, sem música de fundo, mas está ai o resultado do primeiro grupo de estudos Laços Teológicos. As falas de alguns participantes ficaram um pouco baixa, mas nas próximas veremos como resolver isso.

Temos um grupo no facebook, caso alguém chegou até aqui por outros meios, se houver interesse em participar, digite Laços Teológicos no face que irá nos encontrar. A ideia da gravação veio de uma integrante do grupo de Brasília, Arnete Alves, obrigado.

A Bíblia é um livro natural que trata de coisas espirituais, portanto deve ser compreendido racionalmente e, para isso existem princípios de interpretação. Não somente isso, mas as Escrituras Sagradas cristãs são o compêndio de livros mais estudados da história, seja para acusá-la ou defendê-la, seja para a despedaçar em milhões de pedaços ou para juntar seus pedacinhos que formam uma harmonia perfeita, estudiosos debruçam-se sobre suas páginas e, apenas por esse motivo já seria fascinante escavá-la. Boa viagem:

Clique aqui e ouça o áudio do primeiro grupo de estudo
Clique aqui e ouça outros áudios relacionados