NÃO É DEUS QUE ABENÇOA AS PESSOAS QUE SACRIFICAM NA IGREJA UNIVERSAL?

Captura de Tela 2015-03-22 às 12.24.25

O pastor Arnaldo, comediante, publicou um texto meu que fala dos 10 mandamentos do dízimo da Igreja Universal, e isso gerou alguns comentários no blog. Um deles, o rapaz quis saber como entendo o “fato” dos testemunhos de prosperidade da IURD, como se tudo que mostram fosse verdade, querendo saber qual a relação da benção de Deus com o sacrifício de tais pessoas. O leitor pergunta num trecho de seu comentário: “Como funciona isso? Não seria Deus ajudando essas pessoas?” Publico esse texto, pois, essa é a estratégia de marketing que a IURD mais usa. Abaixo minha resposta:

“Obrigado pela oportunidade de esclarecer sobre seu comentário, muito pertinente sua pergunta. Essa é a objeção mais recorrente quando tratamos da “teologia da prosperidade”. A discussão vai longe quando falamos com membros da seita, pois, normalmente, eles deixam o foco do diálogo e partem para subjetividade, repetição de clichês e acusações que você é endemoniado, caído, etc. Irei dividir minha resposta em alguns pontos, penso que é suficiente para mostrar quão grave é o uso dessa estratégia de marketing religiosa. Ouça também a pregação do Ed René Kivitz, que deixo o link no final, é muito esclarecedora sobre a questão.

Vamos aos pontos: sol-e-chuva

1 – GRAÇA COMUM. A Bíblia diz que tudo que é bom vem de Deus, que o sol nasce sobre justos e injustos, diz também que os filhos das trevas são mais hábeis que os filhos da luz. Não estou dizendo que os iurdianos são filhos das trevas, há muitas pessoas lá que temem a Deus, são honestas, etc, só estou dizendo que Deus abençoa até quem é filho das trevas, afinal, Deus é bom para com todos, membros da IURD ou não.

2 – TRABALHO. Um ponto positivo da IURD é que eles estimulam as pessoas a trabalhar e serem empreendedoras, claro que, não fica de graça, o fazem para gerar grande fonte de renda para seus cofres para construção de seu império de poder. Tínhamos um casal de amigos, inteligentes, trabalhadores e talentosos em seu negócio, estavam prosperando muito. O rapaz pegou um dinheiro no banco para pagar funcionários, foi seguido por bandidos, próximo de sua casa, ao receber voz de assalto, sem saber o que fazer e no momento de desespero, houve uma rápida troca de palavras, quando o bandido tirou a arma para atirar, meu amigo estendeu a mão pedindo para não atirar, a bala atravessou sua mão, atingindo e matando-o. Não morreu na hora, deu tempo de sua mãe chegar para morrer em seus braços ensanguentados. Ele tinha um “cartão de dizimista fiel” no bolso da camisa. O pastor havia orientado que era para andar com o cartão no bolso, pois, seria sua proteção contra assalto, bala perdida, etc. quem quer dinheiro

3 – PROBABILIDADE. Apesar de estar diminuindo, a IURD tem milhões de adeptos, é natural que alguns fiquem ricos e outros permaneçam pobres, mas TODOS “na fé” dando tudo que têm. Seria como Silvio Santos fazer marketing do “baú da felicidade” se aproveitando dos que ganharam e desconsiderando a grande massa que perde. A diferença é que Silvio Santos não usa o nome de Deus, não faz a pessoa dar tudo, não diz para deixar de pagar outras contas para fazer uma “fézinha” nas apostas de sua loteria, não diz que TODOS que “apostarem” com “fé” ficarão ricos, e mais importante, o dono do SBT é um homem íntegro. Se você ouviu crédulos da IURD dizendo que ficaram ricos, também conhece outros tantos que nunca colocaram os pés numa igreja e da mesma forma e até mais, se tornaram multimilionários. No Brasil, milhares de pessoas ficam milionárias todos os anos, tem religiosos de várias denominações, ateus, agnósticos, mendigos, médicos, engenheiros, analfabetos, cortadores de cana, vendedores ambulantes, engraxates, etc. Claro que, em 200 milhões de habitantes são poucos, mas se o governo começasse a pegar esses exemplos para dizer o quanto o governo é bom, seria muito fácil de enganar ainda mais. Mind-Control

4 – DISCURSO. Quando a seita universal era pequena seu discurso era “somos bons porque somos poucos”, hoje é “somos muitos porque somos bons”. Ou seja, o marketing muda conforme muda a conveniência. Os pastores e bispos aproveitam da generosidade, pobreza e analfabetismo do povo brasileiro para estabelecer um discurso religioso proselitista, fundamentalista, massacrante e alienante.

5 – INCOERÊNCIA. Conheço pessoas que são pressionadas pelos pastores para darem “testemunho” de como ficaram ricas, mas a pessoa diz: “pastor, eu prosperei, mas meu casamento está uma bagunça, meus filhos nas drogas, etc”, o pastor responde: “minha filha, continue na “fé”, vamos falar somente de “prosperidade”, mas diante das câmeras o pastor força falar de outros assuntos, e, o membro fica com medo de contradizer o “homem de Deus” e acaba maquiando a realidade, mentindo noutras áreas. palha-assada

6 – GANÂNCIA. Muitos testemunhos espetaculares são mentirosos ou exagerados, tenho uma amiga que, no início dos anos 2.000 tinha uma empresa de seguros, trabalhava como escrava para dar dinheiro para a seita, movimentou muito dinheiro e estava constantemente na mídia e nos palcos da IURD, resultado após alguns anos: ficou presa por várias semanas, pois, o marketing e o movimento financeiro de sua empresa foi tão grande que perdeu o controle, confiou profissionais em pontos estratégicos da empresa, foi roubada e enganada, ficou pobre, devendo, e ainda na cadeia por sonegar impostos e falsificar documentos, que achava que estavam sendo pagos e emitindo documentos legalmente. Não estou dizendo que foi culpa da seita, quero dizer que, a maioria dos “testemunhos” são mentirosos e efêmeros, a pessoa não permanece naquele glamour o tempo todo, e quando o castelo de cartas marcadas desmorona, os mercenários e lobos já extorquiram o que podiam, e agora, ninguém fala do resultado final, vão para os próximos “testemunhos” e o resto que se exploda. Conheço outro casal que deu a única FAZENDA que recebeu de herança, foi um escândalo na família e cidade, apostaram que iriam receber muitas vezes mais, mas perderam quase tudo, sobrou alguma coisa, mas nunca mais viram uma poeira do que deram para a seita. Os exemplos são inúmeros, mas os pastores não falam que a maioria vai permanecer pobre ou vai ficar pior, usam os raros exemplos e os potencializam para enganar os desavisados, inocentes e gananciosos. charge_tiririca

7 – ANALFABETISMO FUNCIONAL. O Brasil é um país de analfabetos funcionais. O evangelho de Cristo NÃO TEM ABSOLUTAMENTE nada haver com ficar rico. O povo está tão sem noção e ganancioso que não consegue distinguir a mensagem do evangelho de um discurso de auto-ajuda gospel para ficar rico. Os cursos do SEBRAE e palestras do Daniel Godri fazem isso muito melhor e com honestidade. Ainda que tudo o que se mostra na Universal fosse verdade (que não é), o que isso tem haver com o evangelho de Cristo? As pessoas perderam a vergonha em dizer que estão “buscando” a Deus para ficarem ricas, e ainda alimentam esse discurso, muitos acreditam nisso, e pior, estão girando a ciranda maldita da “teologia” da “prosperidade”. Poderia dar vários exemplos de famílias destruídas, que ao longo do tempo, deram dezenas de “testemunhos” nos palcos da seita e até na TV, e hoje estão destruídas, sem forças para recomeçar, sem apoio da “igreja” e, tidas como rebeldes e endemoniadas pela seita. Para averiguar o que estou dizendo leia o Novo Testamento, não precisa acreditar no que estou dizendo, verás que o que se faz nos palcos e bastidores da IURD é nojento. Ainda bem que você não frequenta a seita, mas vá lá, mais do que ouvir um “pastor” performático e treinado desde criança para fazer as pessoas darem “voluntariamente” todos os bens e dinheiro que possuem, converse com algumas pessoas quando elas descerem do picadeiro, veja o quanto não conhecem nada da Bíblia, o quanto são analfabetas funcionais e como somente papagaiam o que ouvem dos “pastores” e “bispos”. Para cada “testemunho” destes que você citou, pode ter certeza que milhares de famílias estão arrasadas por um dia terem acreditado nisso e até terem sido um desses “testemunhos de prosperidade”. Essas histórias que lhe contei, vistes alguma nos palcos da IURD ou no youtube como as que você citou?

8 – Ouça o audio desse link que explica detalhadamente como funciona esse esquema das igrejas neopentecostais, evidentemente, não são somente as “neos” que fazem isso, mas essa corrente religiosa usa e abusa de tudo que é falado nesse audio: https://www.youtube.com/watch?v=GfpaCkrP5wY

Como eu disse anteriormente, não dedico tempo para falar nesse assunto, mas não posso ser covarde em, conhecendo muito bem esse esquema, permanecer calado, enquanto muitas pessoas ao meu lado estão caindo nesse engodo, se apenas uma delas abrir os olhos, valeu a pena. Se alguém tivesse feito isso comigo a 12 anos, talvez eu seria essa única pessoa que teria aberto os olhos, digo isto, pois, procurei informação entre alguns amigos e em literatura cristã na época, mas não tinha larga informação como hoje, e também na IURD não era tão bagunçado como vemos hoje em dia, está cada dia pior.

Grande abraço e que Deus abençoe você e sua família.”

© Lucianno Di Mendonça
www.plurais.net

Anúncios

O MACHADO DE CRISTO

3712_Ocean-versus-Desert-greened-tree-versus-dry-treeOutro dia perguntei a um amigo se ele está frequentando certa denominação Evan-Jélica (não errei, é com J mesmo, de Jegue).
 Ele respondeu alegremente: – Sim. É uma benção, o pastor é ‘isso e aquilo’, fogo puro, orando nos montes, campanhas, jejuando, Deus operando, milagres, respondendo orações e blá blá blá, pirirí-pororó…
– Escuta! Você quer aprender de verdade ou passar o resto da vida só no oba-oba? – Perguntei.
– Quero aprender. – Meu amigo responde esvaziando-se como uma bexiga.
– Vamos à minha casa, você vai começar com um livro que irei lhe dar. – E a conversa continuou… e melhorou.

Iniciei com esse pequeno diálogo para introduzir onde quero chegar: não adianta participar de reuniões se a pessoa não tem interesse em estudar a Palavra de Deus, assim como, se estiver frequentando um terreiro de babaçuê Evan-Jélico, um milhão de vezes é melhor não ir do que aprender a fazer encantamentos com algum xamã gospel em nome de Gijuis, são feiticeiros intelijumentos ensinando encantos, tele-guiando e encantoando os descantiados do pensamento. Muitas vezes, os tele-guiados descantiados do pensar até saíram da religião Evan-Jélica, mas o Evan-Jelicalismo não saiu deles.
No parágrafo anterior, não disse LER, mas sim ESTUDAR. Ler é para quem está sendo alfabetizado. A Bíblia não é um livro de leitura como se lê Chapeuzinho vermelho tentando se safar do Lobo mau (muitos vão a Bíblia com essa idéia e deixam de ir também), mas as Escrituras é o Livro do Soberano escrito ao homem miserável, por isso o mínimo que podemos fazer é estudá-lo e nele meditar, para somente a partir daí avançarmos na pratica do pouco que aprendemos sobre ELE (e nós). Isso exclui, evidentemente, os analfabetos e quem por algum motivo físico ou mental esteja impossibilitado.

Certo dia estava vendo uma colega na faculdade escrevendo numa lentidão incrível, igual a quando escrevíamos em cartilha, não conseguindo coordenar o raciocínio, escrevendo “mim empresta uma borracha”, “agente somos top”, “eu sou menas falante”, etc. Mas, certo dia, chorando muito veio pedir-me ajuda: “quero aprender, mas não estou dando conta.” Passei-lhe um livro para transcrever para o Word. Resultado após alguns meses e anos: por uma série de motivos melhorou e está alegre, principalmente pela disposição e talento de alguns professores em ensinar, mas tem algo que poucos têm: estuda mais que todos da sala. Por outro lado, conheci um rapaz mais novo que eu, que sabe mais teologia que um dia eu possa vir a conhecer. Perguntei-lhe: “cara, você trabalha o dia inteiro, faz faculdade a noite, que horas você estuda?” Sua resposta: “de madrugada e finais de semana”.
O problema é que 75% da população brasileira é ou analfabeta ou analfabeta funcional, esse último, compreende quem sabe ler e escrever, mas não consegue interpretar textos simples ou fazer uma operação matemática básica, ou seja, apenas 1 em cada 4 entende o que lê. Os analfabetos funcionais estão nas universidades também, isso é uma vergonha total!
E quando partimos para a religião Evan-Jélica, o problema vêm a galope, os analfabetos funcionais estão nos púlpitos e, para piorar, muitos de seus “pastores” e “líderes” ensinam exaltando a anti-inteligência, anti-racionalidade, anti-cristianismo autêntico, estimulando a jumentalidade. Claro que há exceções, mas entenda como exceção e não como regra. É muito fácil identificar uma pessoa que não valoriza o conhecimento, mesmo que seu discurso não admita: nunca os iremos ver indicando um livro, falando de um filme que estimule a cultura, falando de uma letra de música que ele(a) ache inteligente, chamando atenção para alguma filosofia interessante, falando das Sagradas Letras com brilho nos olhos e, quando o assunto parte para esse lado, não tem interesse em prestar atenção, fazer perguntas e aprender.

Quando comecei cursar Letras, senti muita dificuldade com as palavras, termos e conceitos próprios do universo das Letras, até abordar uma de minhas professoras e pedir-lhe ajuda, pois, não estava acompanhando seu raciocínio. Você acha que ela abaixou o nível das aulas para que eu a entendesse? Não. Simplesmente se dispôs a ajudar e disse que isso é natural, com o tempo e dedicação nos estudos, o problema seria resolvido, mas teria que ESTUDAR. Dois anos depois, amadureci um bocado, é muito gratificante, terminar um livro de Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade, Machado de Assis, Dostoievski, sentindo prazer na leitura e, ao final, ter a sensação: entendi um pouco de suas cabeças brilhantes, expandi um pouquinho minha mente! O mesmo processo se dá na Teologia.

Não me interpretem mal, há pessoas que estudam muitíssimo mais que este Zé Ruela que vos escreve, e eles não são melhores que eu, nem quem não estuda é pior que nós, todos são dignos de respeito e admiração, do mais simples ao mais erudito, do mais ignorante ao mais culto. Independente que quem sejamos, desde que estejamos em Cristo, nossa virtude está n’Ele e somente n’Ele.
O argumento que mais ouço quando entro nesse assunto é: “conheço um fulano que conhece a Bíblia como ninguém, mas é mau caráter, malandro, etc.” Primeiro que isso covardia e desonestidade intelectual em não considerar outras variáveis. Segundo, isso é resultado de uma lavagem cerebral trabalhando em função dos poderosos, pois, o dia que o povo tomar conhecimento das coisas, o império religioso começa ruir naturalmente. Terceiro, quantas pessoas em sua comunidade cristã que são tão ruins como o exemplo acima e mal sabem discernir se Filemon está no AT ou NT, ou se Tito é um livro da Bíblia ou um tiozinho que mora na vila? Não é o conhecimento que corrompe o homem, mas seu coração (Jr 17.9), e coração, todos têm, o que vamos fazer dele, e para quem o iremos guardar não está relacionado ao saber que adquirimos, pois, este é neutro em si mesmo.
Em Oseías está escrito: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.” Não que eu esteja com a pá virada, mas o dia em que o Soberano vai virar a pá está chegando, o machado de Cristo está posto a raiz das árvores (Mt 3.10-12).
A questão é apenas uma: vamos parar no tempo, deitarmo-nos na cama ou sofá, assistindo novela, BBB, zapeando no zap zap, navegando no face, publicando fotos no instagram, participando de cultos antropocêntricos evan-Jélicos duas vezes por semana ‘com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar’, ou vamos usar nosso cérebro para a glória de Deus?

© Lucianno Di Mendonça
www.plurais.net